seta para a esquerda seta para a direita seta para a direita seta para baixo
artigo 25 de setembro de 2012

Desoneração da Folha de Salários

Dr. Marcos Egg Freire

Diante de um cenário de baixo crescimento econômico apontado pelas pesquisas realizadas em 2011 e 2012, especialmente em relação à indústria nacional e ao setor de serviços, o Governo Federal decidiu criar o chamado “Plano Brasil Maior”, com o objetivo de reduzir a carga tributária desses setores da economia, fomentando a produção e o consumo a partir da redução do custo fiscal das empresas.

Nesse contexto, foi editada a Lei nº. 12.546/11 que promoveu diversas alterações na legislação tributária, dentre as quais aquela que diz respeito à desoneração da folha de pagamento das empresas, com a modificação da sistemática de apuração das contribuições previdenciárias devidas pela empresa e incidentes (i) sobre o valor total das remunerações pagas, devidas ou creditadas por ela aos seus segurados empregados e aos trabalhadores avulsos que lhe prestem serviços e, ainda, (ii) sobre o valor total das remunerações pagas ou creditadas aos segurados contribuintes individuais que lhe prestem serviços.

A Lei nº. 12.546/11 substituiu as duas contribuições acima mencionadas por outra incidente sobre a receita bruta auferida pela sociedade empresária, às alíquotas de 1% (um por cento) ou de 2% (dois por cento) ao mês, dependendo de cada caso.

Essa substituição e as novas regras de apuração da contribuição em questão estão previstas nos artigos 7º a 10 da referida lei, cuja redação foi, posteriormente, alterada pela Medida Provisória nº. 563/12, convertida na Lei nº. 12.715/12, e pela Medida Provisória nº. 582/12.

A nova sistemática de apuração da contribuição previdenciária sobre a receita bruta está valendo desde o final do ano de 2011 para alguns segmentos da economia e passou a valer para outros setores desde agosto de 2012. Outras atividades serão afetadas a partir de janeiro de 2013.

A nosso ver, esse benefício concedido pelo Governo Federal terá impacto direto na redução do custo de produção das indústrias e dos setores ligados à prestação de serviços, uma vez que, em números, a desoneração da folha efetivamente ocorre, tal como exemplificado abaixo:

Empresa X – Indústria
Receita bruta total: R$ 1.000.000,00
Receita bruta – Produtos beneficiados pelo Governo Federal: R$ 1.000.000,00
Folha de salários – R$ 150.000,00
Contribuições previdenciárias devidas anteriormente (sem o benefício do Governo Federal):
Contribuição correspondente a 20% do valor total da folha (R$ 150.000,00): R$ 30.000,00
Contribuições previdenciárias devidas após o benefício concedido pelo Governo Federal:
Contribuição de 1% sobre o valor da receita bruta: R$ 10.000,00
Custo de folha reduzido em R$ 20.000,00

A medida adotada pelo Governo Federal demonstra, assim, que o Brasil, na contramão da política tributária de sempre majorar tributos que vinha sendo adotada há anos, está buscando agora, na desoneração tributária, reencontrar o caminho do crescimento.

Belo Horizonte

Av. Afonso Pena, 2.951
Funcionários
CEP: 30130-006 como chegar

+55 31 2128 3585

bh@jcm.adv.br

Brasília

SAS, Quadra 1, Bloco M
Ed. Libertas Brasilis
sala 911/912 - Asa Sul
CEP: 70070-935 como chegar

+55 61 3322 8088

bsb@jcm.adv.br

Jaraguá do Sul

Av. Getúlio Vargas, 827
2º andar - Centro
CEP: 89251-000 como chegar

+55 47 3276 1010

sc@jcm.adv.br

Rio de Janeiro

NOVO ENDEREÇO

Rua Santa Luzia, 651
14º andar - Centro
CEP 20030-041 como chegar

+55 21 2526 7007

rj@jcm.adv.br

São Paulo

NOVO ENDEREÇO

Rua Tabapuã, 627
4º andar - Itaim Bibi
CEP: 04533-012 como chegar

+55 11 3286 0532

sp@jcm.adv.br